terça-feira, 10 de março de 2009

aulas de Português pt. 4

- Ana Marta, podes ler por favor? - diz a professora. E eu começo a ler.
- " Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança;
todo o mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
diferentes em tudo da esperança;
do mal ficam as mágoas na lembrança,
e do bem (se algum houve), as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
que já foi coberto foi de neve fria,
e, enfim, converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
outra mudança faz de mór espanto:
que não se muda já como soía. "
Luís de Camões
(nota: afora - além de; mór - maior; soía - costumava)

No fim da aula, a SofiaG disse:
- Oh Marta, não ficaste mole com esta aula?
E mais não digo.

1 comentário:

Bé disse...

podemos ficar-nos pelo que quiseres, tudo depende da forma como encaramos esse "ficar" e do significado que realmente representa.