segunda-feira, 14 de junho de 2010

ballet


Depois dos dias mais intensos de treino, é simplesmente incrível o que o corpo humano consegue aguentar. A valsa em pontas mais difícil que tinha de fazer era depois de uma valsa em conjunto, sendo a outra um dueto. Nos bastidores todas nos queixavamos de dores nos pés. Já tinha feito um dueto em pontas e ainda ia fazer depois uma dança húngara extremamente cansativa. Dias intensos, semanas a treinar o mesmo e ainda assim tudo saiu como previsto, até acho que foi das vezes que correu melhor. E pensar que tinha no público família quase toda, ex-professoras e, claro, o namorado. Fazer um bom trabalho é importante e sabe muito bem, mas a recompensa sabe ainda melhor. E acabamos assim o dia, a pensar que somos capazes de fazer tudo o que queremos só porque queremos e temos os meios de lá chegar.
Um agradecimento bem especial ao "gajo mais feliz à face da Terra".

5 comentários:

Ruy Jôrgë disse...

*.* tu és tãão LINDA amor!!!
Eu é que agradeço...

<1+2

Sei quem sou, mas não sei explicar como sou. Nem quero tentar. Gato disse...

pode ser que te mostre um dia!;)

Sei quem sou, mas não sei explicar como sou. Nem quero tentar. Gato disse...

Sempre tive um amor platónico pela “maldade”!
Muahahahahah! ;)

Sei quem sou, mas não sei explicar como sou. Nem quero tentar. Gato disse...

tou a brincar!;)

Mas é assim, uma coisa é ser mau e gostar de ser mau.
Isso acho que nunca fui.

Mas por exemplo, a nivel de series e filmes, como o Dexter, T-Bag (prison break) ou mesmo o kira (Anime, death note), entre outros, são os que mais me fascinam.
quando deveria ser ao contrario, acho eu. lol
normalmente as pessoas gostam de quem é "bonzinho"!

ou seja, a nivel de maldade é só a nivel "cinematográfico". lol
ou não! muahhhh

Catarina Pinto disse...

ai, que sorte, danças ballet *.*