quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

new year, new life


Para mim, este foi mais um daqueles anos em que sobrevivemos mais do que queríamos e vivemos menos do que podíamos ter vivido. A vida não é um simples existir e isso agora parece ser um conhecimento empírico (apesar de pouco aplicado à pessoa em si - sim, porque sempre foi mais fácil falar de pensamentos do que viver com outra maneira de pensar - falo do que vejo). De facto, o mundo não consegue mudar quando tem oportunidade para tal, daí fazer-se tanta festa porque sabe bem deixar o passado lá atrás, onde pertence, onde deve ficar e porque já não nos devia incomodar.
Esta é sempre a altura ideal para mudar. Para ter coragem. Para emparelhar o sentimento e a palavra a quem julgamos merecer tal devoção da nossa parte. Para finalmente viver, não necessariamente no verdadeiro sentido da palavra, mas com o nosso próprio significado.
- Quero desejar umas óptimas entradas.
Quero agradecer (o estimar vem depois) aos meus amigos, colegas, conhecidos e pessoas que conheci e deixei de conhecer. Por todos os bons dias que me deram este ano; por todos os beijinhos; por todos os abraços; por todas as bocas e por todas as piadas. Por todas as palavras desagradáveis que me fizeram crescer; por todas as palavras agradáveis de apoio que contribuíram para a minha felicidade. Por tudo o que vivi e o que me fizeram viver, este ano.
As pessoas de quem eu gosto são aquelas a quem digo o que sinto sempre que posso. E mesmo que não diga, ou por medo ou hesitação, ou pelo Tempo já se ter feito sentir, eles sabem quem são. Vocês são-me tudo, eu não sou nada sem vocês e penso que já disse o quão importante vocês me são. – Espero para o ano poder continuar a chamar-vos de amigos com mesmo sorriso que digo hoje.

Saltem com o pé direito * - Feliz 2009

1 comentário:

Junior 19 disse...

E um salto e um "Chupa"s...
Compreedno a tua mensagem. Talvez me falte um pouco de optimismo para encarar mais um ano.
Talvez tenha de "Chupa"r mais...